A influência da família na construçÃo da noçÃo de lucro na criança trabalhdora de rua de curitiba



Baixar 60,62 Kb.
Página1/7
Encontro11.03.2018
Tamanho60,62 Kb.
  1   2   3   4   5   6   7



A INFLUÊNCIA DA FAMÍLIA NA CONSTRUÇÃO DA NOÇÃO DE LUCRO NA CRIANÇA TRABALHDORA DE RUA DE CURITIBA
Marlene Schlusser Dàroz – Fundação Educacional

Tânia Stoltz – UFPR



INTRODUÇÃO
Por onde quer que andemos neste país, nos deparamos com sérios problemas sociais. Na cidade de Curitiba não é diferente. Com seu desenvolvimento acelerado tem aprofundado suas diferenças sociais seguindo muitas vezes por um caminho perverso de exclusão e discriminação social. O modelo de estrutura familiar no Brasil atualmente está longe do historicamente vivido, se emancipou e instituiu novos padrões de comportamento, um universo de relações diferenciadas que afetam as suas relações internas. O pai que era a autoridade legítima, não é mais e a mulher passa a assumir uma posição de extrema importância na sociedade e na família.

A valorização excessiva do trabalho como solução para os problemas sociais faz com que as pessoas achem que o trabalho é bom para as crianças (sobretudo se essas pertencem a famílias pobres), tornando o trabalho infantil tolerado pela sociedade. O indivíduo que começa a trabalhar cedo, contudo, acaba quase sempre tendo mau desempenho na escola e no futuro se torna um adulto despreparado para competir no mercado de trabalho.

O presente trabalho tem como objetivo investigar a estrutura familiar e a sua influência na compreensão da noção de lucro em crianças trabalhadoras. Este estudo insere-se numa problemática mais ampla que é a do conhecimento do mundo social. Sua importância está no conhecimento de fatores que intervêm no processo de compreensão da criança no sentido de favorecer seu desenvolvimento

Jean Piaget é o mais conhecido dos teóricos que defendem a visão interacionista do desenvolvimento, dedicou-se a investigar cientificamente como se forma o conhecimento.

Segundo PIAGET (1964, p.3/4) são quatro os fatores responsáveis pelo desenvolvimento cognitivo: a maturação, experiência, transmissão, equilibração ou auto-regulação, este considerado o fator de interação social. Segundo estudos deste teórico, as experiências anteriores da criança servem de base para novas construções, depende da relação que o sujeito estabelece com o meio.

A partir de DELVAL (1999b) vemos que a organização social é composta por inúmeros eixos inter-relacionados. Dentre esses eixos encontramos o econômico, o político, a nação, a moral, a família, as classes sociais, a religião. Fazendo um recorte neste grande tema que é o conhecimento social, trabalhamos com o fator econômico, aspecto presente prematuramente no cotidiano da criança. “Ademas, el niño entra muy pronto en contacto con este aspecto del mundo social, antes que con otros aspectos igualmente importantes pero más elejados de su experiencia inmediata, como la actividad política. A esto se añade que el asunto se presta mejor a ser investigado que otros aspectos del conocimiento social, pues existen elementos materiales, como el dinero o las mercancías, que el niño maneja pronto y que son aparentemente menos abstrusas que las relaciones políticas” ( DELVAL (1991, p. 72.)

Cada um dos eixos do conhecimento social necessita de instrumentos intelectuais que a criança desenvolve através de sua ação sobre o mundo. Uma das razões que dificulta a construção de representações sociais nas crianças é sua pouca experiência social.

É por esta razão que decidimos estudar crianças trabalhadoras. Trata-se de diagnosticar quais são as características da estrutura familiar destas crianças e, se por estarem em contato direto com a compra e venda de produtos, têm desenvolvido prematuramente a noção de lucro bem como entendido o mecanismo da procedência das mercadorias e a prática de preços realizada entre elas.

Este trabalho pretende justificar-se na medida em que ao analisar a evolução do conhecimento social, tendo como destaque a relação social evidenciada na característica estrutural da família, possam se desenvolver estratégias de trabalho e práticas pedagógicas mais próximas à compreensão infantil sobre temas ligados à noção de lucro e de uma forma mais abrangente ao conhecimento social.


: anteriores
anteriores -> Formação de professores e pesquisa: metodologias de participação, colaboração e autoformação
anteriores -> MediaçÃo da aprendizagem no ensino de psicologia de educaçÃo sob a perspectiva de reuven feuerstein: uma pesquisa-açÃo no curso normal nível médio
anteriores -> EducaçÃo científica e atividade grupal na perspectiva sócio-histórica
anteriores -> O aprender do adulto: contribuições da teoria histórico-cultural
anteriores -> As implicaçÕes das emoçÕES, dos afetos e dos sentimentos na prática pedagógica a partir da psicologia sócio-histórica
anteriores -> Referências bibliográficas
anteriores -> Da inovaçÃo técnica à inovaçÃo edificante: o ensino de Didática em questão
anteriores -> O estágio supervisionado na formaçÃo do(A) professor(A) de educaçÃo física
anteriores -> RepresentaçÕes de alfabetizaçÃo em discursos escolares: harmonia entre palavras proferidas e coisas feitas
anteriores -> As práticas cotidianas de alfabetizaçÃO: o que fazem os professores


Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4   5   6   7


©psicod.org 2017
enviar mensagem

    Página principal