A expansão dos cursos de pedagoia no estado de santa catarina nas décadas de 70 e 80


CURSOS DE PEDAGOGIA EXISTENTES EM SANTA CATARINA NA DÉCADA DE 1960



Baixar 123 Kb.
Página4/6
Encontro11.08.2018
Tamanho123 Kb.
1   2   3   4   5   6
CURSOS DE PEDAGOGIA EXISTENTES EM SANTA CATARINA NA DÉCADA DE 1960

INSTITUIÇAO

NATUREZA

JURÍDICA


MUNICÍPIO

Data/

Início Funcionamento



Modalidade

1.UFSC

(Universidade Federal de Santa Catarina)


Pública


FEDERAL


Florianópolis

1960

Presencial

(Licenciatura)



2.UDESC

(Universidade Estadual de Santa Catarina)



Pública

ESTADUAL


Fundacional


Florianópolis

01/03/1964

Presencial

(Licenciatura)



3.UNIVALI

(Universidade do Vale do Itajaí)


Privada


Filantrópica

Fundacional




Itajaí

01/03/1965

Presencial

(Licenciatura)



4.FURB

(Universidade Regional de Blumenau)



Pública

Municipal

Fundacional


Blumenau

25/05/1968

Presencial

(Licenciatura)



FONTE: http://www.educacaosuperior.inep.gov.br/; quarta-feira, dia 07 de julho de 2004.

Nas décadas de 1970 e 1980, com o movimento de expansão do Ensino Superior, mais 9 (nove) instituições passaram a oferecer cursos de Pedagogia. Os dados coletados no INEP demonstram que ao final da década de 1980 - conforme Tabela 2 - Santa Catarina já contava com13 (treze) instituições no estado, ofertando 18(dezoito) cursos/habilitações de Pedagogia (duas universidades aparecem nos registros do INEP com cadastro de mais de um curso/habilitação de Pedagogia: a UnC, com 3 (três) e a UNOESC, com 4 (quatro)).


TABELA 2

CURSOS DE PEDAGOGIA IMPLANTADOS EM SANTA CATARINA NAS DÉCADAS DE 1970 E 1980

INSTITUIÇAO

NATUREZA JURÍDICA

MUNICÍPIO

Data/

Início Funcionamento



Modalidade

1.UNISUL

(Universidade do Sul de Santa Catarina)



Pública

Municipal

Fundacional


Tubarão

26/02/1970

Presencial

(Licenciatura)



2.UNESC

(Universidade do Extremo Sul Catarinense)



Pública

Municipal

Fundacional


Criciúma

06/03/1970

Presencial

(Licenciatura)



3.UnC

(Universidade do Contestado)



Privada

Comunitária

Fundacional


Caçador

12/07/1972

Presencial

(Licenciatura)



Concórdia

03/03/1989

Presencial

(Licenciatura)



Canoinhas

01/03/1986

Presencial

(Licenciatura)



4.UNOCHAPECÓ

(Universidade Comunitária Regional de Chapecó)



Privada

Comunitária

Filantrópica

Fundacional




Chapecó

13/03/1972

Presencial

(Licenciatura)



5.FEJ

(Faculdade de Educação de Joinville)



Privada


Joinville

01/06/1973

Presencial

(Licenciatura)



6.UNOESC

(Universidade do Oeste de Santa Catarina)



Privada

Filantrópica

Fundacional


Joaçaba

02/08/1976

Presencial

(Licenciatura)



São Miguel D’Oeste

01/08/1988

Presencial

(Licenciatura)



São Miguel D’Oeste

01/08/1988

Presencial

(Licenciatura)



São Miguel D’Oeste

01/08/1988

Presencial

(Licenciatura)



7.UNIFEBE

(Centro Universitário de Brusque)



Privada

Comunitária

Fundacional


Brusque

02/03/1987

Presencial

(Licenciatura)



8.UNERJ

(Centro Universitário de Jaraguá do Sul)


Privada


Comunitária

Fundacional



Jaraguá do Sul

29/01/1988

Presencial

(Licenciatura)



9.UNIDAVI

(Universidade para o Desenvolvimento do Alto Vale do Itajaí)



Privada

Comunitária

Filantrópica

Fundacional



Rio do Sul

31/07/1989

Presencial

(Licenciatura)



FONTE: http://www.educacaosuperior.inep.gov.br/; quarta-feira, dia 07 de julho de 2004.

O número de municípios onde o curso/habilitação foi implantado passou de 3 (três) para 15 (quinze), chegando, assim, às diversas microrregiões do estado. Essa explosão quantitativa, que se deu nas décadas de 1970 e 1980, veio apoiada tanto pela legislação federal quanto pelos planos estaduais de educação. É importante observar, no entanto, que na década de 1960, 50% das vagas dos cursos de Pedagogia estavam concentradas em instituições educacionais públicas. Já a partir da década de 1970, a expansão caminhou no sentido de ampliar as vagas nas instituições de direito privado, comprovando um movimento de privatização instituído pelos governos estadual e federal. Ao final da década de 1980, somente 12% das vagas estavam sendo oferecidas em universidades públicas, o que significa que 88% delas não eram mais de ensino gratuito. Ampliando essa visão para todo o Ensino Superior Catarinense, as pesquisas de Valle (2003) demonstraram que, nessas décadas, as Fundações de Ensino Superior Catarinenses detinham aproximadamente 70% do número total de vagas, sendo que apenas 30% eram oferecidas pelas Universidades Públicas.

O que tal expansão significou em termos da qualidade do ensino oferecido para a formação dos profissionais da educação? A expansão dos cursos ocorreu em instituições isoladas que paulatinamente foram agregadas em fundações educacionais universitárias voltadas prioritariamente para o ensino e raramente com condições para o desenvolvimento da produção do conhecimento e da pesquisa. Parece que mais uma vez predominou a tendência recorrente no país de reduzir a formação profissional docente a uma formação pragmática de domínio das aptidões técnicas, atendendo assim a demanda de uma profissionalização conveniente ao movimento desenvolvimentista em curso no estado.



Baixar 123 Kb.

Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6




©psicod.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
processo seletivo
concurso público
conselho nacional
reunião ordinária
prefeitura municipal
universidade federal
ensino superior
ensino fundamental
ensino médio
Processo seletivo
minas gerais
Conselho nacional
terapia intensiva
Curriculum vitae
oficial prefeitura
Boletim oficial
seletivo simplificado
Concurso público
Universidade estadual
educaçÃo infantil
saúde mental
direitos humanos
Centro universitário
Poder judiciário
educaçÃo física
saúde conselho
assistência social
santa maria
Excelentíssimo senhor
Conselho regional
Atividade estruturada
ciências humanas
políticas públicas
outras providências
catarina prefeitura
ensino aprendizagem
secretaria municipal
Dispõe sobre
Conselho municipal
recursos humanos
Colégio estadual
consentimento livre
ResoluçÃo consepe
psicologia programa
ministério público
língua portuguesa
público federal
Corte interamericana