A educaçÃo básica na relaçÃo com a diversidade cultural e a heterogeneidade linguística em cabo verde liziane Patrícia Silva Monteiro Dissertação de Mestrado em Ciências da Educação Setembro 2013



Baixar 0,76 Mb.
Página7/41
Encontro15.03.2018
Tamanho0,76 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   ...   41

INTRODUÇÃO


A dissertação que ora se apresenta visa a obtenção do grau de Mestre em Ciências da Educação pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa e aluna Erasmus na Faculdade de Psicologia e Ciências de Educação da Universidade de Genebra. O impulso pela temática Interculturalidade e Educação veio do contacto e persistência ao longo do percurso académico. A proposta apresentada: A educação básica na relação com a diversidade cultural e a heterogeneidade linguística em Cabo Verde. Um estudo de terreno: Escola 13 de Janeiro, ilha de Santiago, surgiu, efetivamente, de uma curiosidade pessoal, enquanto cabo-verdiana, fruto desse sistema de ensino.

Perante uma sociedade cultural e linguisticamente diversa, devida essencialmente às particularidades das ilhas, justifica-se em Cabo Verde a necessidade da valorização desta mesma diversidade no contexto escolar reconhecendo-a como um fator de enriquecimento do processo de ensino/aprendizagem.

Motivada pelos fatores nomeados levantámos o seguinte problema: De que forma os professores vêem as diferenças culturais e linguísticas manifestadas na escola 13 de Janeiro na ilha de Santiago? Logo, como estão organizados os conteúdos, os programas pedagógicos e os planos de aula no sentido de valorizar estas diferenças?

Neste âmbito criámos um espaço de reflexão levando os professores e a escola a auto-refletirem sobre as suas práticas no contexto da diversidade cultural e linguística manifestadas na escola. Pretendemos analisar em que medida é utilizada a diversidade cultural e linguística enquanto estratégia e meio promotor da educação no contexto onde ela se insere, na formação de pessoas responsáveis pelos seus atos, capazes de se identificarem com a sua identidade pelo respeito que pela mesma vão construindo. Portanto, o estudo tem como propósito fundamental: analisar até que ponto a Escola 13 de Janeiro, na ilha de Santiago, insere conteúdos ligados à diversidade cultural e linguística na qual se encontra inserida a comunidade cabo-verdiana, numa perspetiva de respeito e de construção da cidadania do seu povo. Isto é, o que pensa a escola da e o que fazem os professores com a diversidade cultural e linguística presente na escola.

Se se pretende uma escola plural, promotora da diversidade cultural e linguística, logo, um currículo e uma educação assentes na promoção da cidadania, a incidência do trabalho vai de encontro à análise do papel da escola e da profissão docente, elaboração de planos, organização de atividades no sentido de trabalhar com, ao mesmo tempo valorizar a diversidade cultural e linguística expressa na sala de aula, numa perspetiva de inserção sociocultural, adequando as necessidades de dar procedimento a uma educação voltada para a interculturalidade.

A par dos avanços manifestados ao longo da história da educação em Cabo Verde, verifica-se que estes acentuam sob perspetivas igualitaristas e monoculturais pela aposta na homogeneização curricular nacional comum e uniforme, baseada na noção de que numa cultura comum todos os grupos estão em condições igualitárias para prosseguir. Daí levantarmos a seguinte hipótese: o sistema homogéneo da educação básica cabo-verdiana, ainda fortemente condicionado pelos traços da educação colonial, não dá espaço à Escola 13 de Janeiro e aos respetivos professores margem para articular e valorizar a diversidade cultural e linguística nela presente.

Pretende-se através deste estudo avaliar até que ponto a educação é permissiva à continuação de identidades próprias e da afirmação da diferença cultural e heterogeneidade linguística associada ao intraculturalismo, como uma via permeabilizadora da educação democrática como garante da cidadania plena a todos os indivíduos. Trata-se de uma condição fundamental para o estabelecimento das condições de igualdade e garantia da convivência com a interculturalidade, merecendo a devida atenção uma exaustiva análise, discussão e confronto dos resultados encontrados ao longo da investigação. Por isso, integramos nesta investigação termos conceptuais como mono/multi/inter/trans/culturalismo, a fim de questionar e clarificar os conceitos e perspetivas inerentes a estes fenómenos no contexto do ensino básico em Cabo Verde, particularmente na ilha de Santiago

Encontrar meios de valorizar a diversidade cultural e linguística, contribuir com subsídios teóricos e práticos para o reconhecimento da multi/interculturalidade em Cabo Verde, com vista à sua potencialização e normatização no sistema de ensino básico é a pretensão deste estudo.

Quando muito se fala da multi/interculturalidade entre culturas diferentes resultando entre outras manifestações choque, conflito, desigualdade, sobrevalorização, poderá ser a educação, quando fazendo um uso apropriado, um meio de promover aquela que cada vez mais se tem tornado uma prioridade absoluta e inadiável, a educação multi/intercultutal? Pretendemos através da educação refletir sobre esta temática levantada, dentro da comunidade cabo-verdiana que também se apresenta cultural e linguisticamente diversificada. Neste contexto pretendeu-se analisar a relação entre a educação básica e a diversidade cultural e linguística manifestada no país, propondo a cooperação, a partilha e a complementaridade dentro da comunidade educativa no sentido de promover a unidade/particularidade através da educação.

O trabalho está organizado em duas partes. A primeira foi dedicada ao enquadramento teórico e está dividido em três capítulos: no I serão abordados os alicerces da identidade cultural cabo-verdiana, isto é a situação histórica e sociocultural, fenómenos que deram origem à formação da sua diversidade cultural e linguística. Sobre as línguas abordaremos primeiramente as teorias evolutivas da linguagem, para depois entrar na origem e evolução do crioulo de Cabo Verde e do diagnóstico da diversidade cultural e especificidade linguística manifestada nas ilhas e implicações na oficialização do crioulo e estas na educação. No capítulo II, o principal ponto a tratar é a estrutura do desenvolvimento da educação em Cabo Verde. Pretendemos fazer uma análise da educação (formal e informal) desde a época colonial, passando por necessidades e evoluções até às políticas, práticas educativas e curriculares. No capítulo III é ponto a tratar a educação na relação com a diversidade e a heterogeneidade linguística em Cabo Verde. A particularidade deste capítulo é analisar a educação e os desafios que lhe são propostos tais como: a multiculturalidade, o bilinguismo, a pluri/interculturalidade, a descentralização educativa, o transculturalismo.

Da necessidade de compreender a problemática em profundidade, de encontrar resultados precisos e sistematizados, encontramos no estudo de terreno uma forma de dar resposta às inquietações levantadas e construídas ao longo desta investigação. Assim, surge a segunda parte do trabalho, estudo empírico, IV capítulo. No cenário de pesquisa, fazemos primeiramente um enquadramento metodológico, seguido do modelo de análise e procedimentos. No que concerne aos métodos, técnicas e instrumentos de recolha de informação acreditamos que a recolha de dados secundários, inquérito por questionário e entrevista sejam os métodos mais adequados ao nosso estudo. Os dados e informações encontrados foram sugeitos à análise e tratamento através da descrição e discussão dos mesmos. Tendo em conta os instrumentos (questionário e entrevistas), os dados recolhidos foram objeto de análise quantitativa (descrevendo e agregando) e de análise qualitativa (transcrevendo e organizando). Os resultados foram, ainda, alvo de comparação, estabelecendo relações e interpretando as diferenças.

Relembrar o assunto abordado, os objetivos propostos e os seus graus de cumprimento, e a importância do trabalho não só a nível de conhecimento e aprofundamento do tema como a nível de crescimento pessoal, são outrossim importantes e a estes reservámos o espaço de remate/conclusões e de considerações finais.


I Parte - Enquadramento Teórico


CAPÍTULO I - ENCADEAMENTO DE FENÓMENOS NA FORMAÇÃO DA DIVERSIDADE CULTURAL E A HETEROGENEIDADE LINGUÍSTICA NA SOCIEDADE CABO-VERDIANA





Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   ...   41


©psicod.org 2019
enviar mensagem

    Página principal