A drogadição e suas consequências para o usuário e a família



Baixar 58,86 Kb.
Página1/7
Encontro26.08.2018
Tamanho58,86 Kb.
  1   2   3   4   5   6   7

A drogadição e suas consequências para o usuário e a família



Simone Quadros Alvarez ¹;Ana Paula Vaghetti de Oliveira 2; Giovana Calcagno Gomes 3.


INTRODUÇÃO


No início do ano de 2009, na sexta série do curso de graduação em enfermagem, na disciplina de Assistência de Enfermagem à Saúde mental, realizamos as aulas práticas desta cadeira no Ambulatório de Saúde Mental do Município do Rio Grande. Desenvolvíamos atividades em grupo com dependentes químicos. Durante estas atividades percebemos que estes usuários procuravam nos profissionais da saúde auxílio para o enfrentamento das dificuldades inerentes à vontade de parar de usar drogas.

O alto índice de pessoas que procuravam, eram levados ou encaminhados ao serviço de tratamento para dependência química fizeram com que observassemos os motivos os quais as levaram ao uso de drogas e seu perfil. São usuários de drogas lícitas ou ilícitas, acometidos por uma doença de recuperação sofrida e dolorosa, requerendo muita força de vontade e auxílio para sua superação, podendo gerar transtornos individuais, familiares e sociais.

Assim, percebe-se que a dependência química é um problema que vem mobilizando o sistema de saúde (AGUILAR, PILLON, 2005; CANOLETTI; SOARES, 2005), ganhando visibilidade devido a complexidade na solução desse problema. Discussões sobre este fenômeno encontram-se presentes em diversos meios de comunicação e no âmbito de várias instituições. (MARINHO, 2005).

Desempenhamos atividades na abordagem ao dependente químico, através da atividade de acolhida ao paciente e sua família. No acolhimento avaliávamos a situação do paciente para o encaminhamento deste ao plano terapêutico adequado à sua necessidade. Este atendimento era realizado através de uma abordagem estruturada. Esse modelo de abordagem visa identificar os problemas reais e potenciais decorrentes do uso de drogas e motivar os indivíduos a mudarem seu comportamento e identificar e ajudar pessoas dependentes a se prevenirem dos problemas decorrentes do uso abusivo de drogas. (SILVA; SILVA, 2005).

Após esta triagem com o paciente era realizado o acolhimento com a família com o propósito de sentirem-se seres humanos respeitados e em busca do resgate da auto-estima e confiança, na tentativa de minimizar o sentimento de fracasso desses familiares, co-dependentes. De acordo com o acolhimento que o Sistema Único de Saúde (SUS) preconiza todo cidadão tem direito a um atendimento humanizado, acolhedor e livre de qualquer discriminação. (BRASIL, 2007).

Neste sentido, visando dar conta das necessidades do portador de problemas mentais os princípios da Reforma Psiquiátrica defendem um atendimento integral e humanizado a estes. Além disso, confere o acesso ao melhor tratamento do sistema de saúde como um direito desses pacientes. (BRASIL, 2001).





Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4   5   6   7


©psicod.org 2017
enviar mensagem

    Página principal