12 Meses de Empreendedorismo


Crie um bom conceito de negócio, ou seja o produto ou serviço que melhor capitaliza a oportunidade que detectou. 3



Baixar 124,58 Kb.
Página4/15
Encontro28.11.2019
Tamanho124,58 Kb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   15
2. Crie um bom conceito de negócio, ou seja o produto ou serviço que melhor capitaliza a oportunidade que detectou.

3. Certifique-se se de facto existe uma oportunidade e se o conceito de negócio que criou é o que melhor a capitaliza: existe mercado? Antes de criar juridicamente a sua empresa deve certificar-se de que irá ter um volume de negócios suficiente para a sustentar durante pelo menos um ano. Não lhe basta um único cliente mas muitos mais, para o caso de alguns falharem. Procure as provas e as certezas de que o mercado é portador e não apenas impressões de que ele está receptivo. Faça ajustamentos e certifique-se de novo.

4. Identifique os recursos de que necessita para iniciar e desenvolver o projecto e a forma de os adquirir. Pense em alugar, subcontratar, em contratos leasing, em pedir emprestado, em formar alianças. A preocupação do empreendedor é a oportunidade que ele quer, tem de, aproveitar, e não a posse dos activos que em determinado momento detém. Pense no grupo inicial, nas pessoas que o vão ajudar a desenvolver o seu projecto nos momentos cruciais do arranque e crescimento e depois em novos projectos. Sozinho Você nada pode fazer e, cada vez mais, o empreendedorismo diz respeito a grupos. Que qualidades devem ter essas pessoas? O que é que Você tem de fazer para que elas tenham condições para, de facto, o poderem ajudar?

5. Escolha uma marca. Registe-a. A marca é uma poderosa ferramenta de alavancagem, à volta da qual se constrói todo o modelo de negócio. Quando se fala em marca pensa-se nos valores que ela pode veicular e nos mercados a atingir. Vale a pena investir tempo e pedir ajuda na escolha da marca porque, além do mais, ela também pode facilitar a união do grupo de trabalho, inicial e futuro, através de um fenómeno de identificação colectiva. A marca é um instrumento de comunicação interno e externo.

6. Elabore as suas previsões financeiras para se certificar da rendibilidade do projecto. Preocupe-se sobretudo com os fluxos: de tesouraria, de clientes e de outros activos. Preveja necessidades de autofinanciamento para os primeiros anos de vida e faça corresponder os prazos de permanência dos capitais dentro da empresa a essas necessidades. O autofinanciamento é uma necessidade de longo prazo e deve ser suportado por capitais de longo prazo.

7. Redija o seu plano de negócios. O plano deve ser redigido pelo empreendedor e não por qualquer outra pessoa contratada: ninguém conhece o projecto melhor do que Você. A redacção do plano é um exercício de reflexão sobre as decisões tomadas e deve ter em mente vários públicos: potenciais investidores, colaboradores, parceiros e, claro, o próprio empreendedor a quem o plano servirá de orientação futura.

8. Implemente o seu projecto. Inicie a procura de colaboradores, de financiadores, de local para a instalação da empresa. Escolha o estatuto jurídico da futura empresa, inteire-se das formalidades a seguir e registe-a. Inicie a sua actividade. Ao fazê-lo, todos os seus passos vão ter reflexos no futuro, por exemplo, se quiser que a sua empresa tenha uma cultura de inovação constante e seja orientada para o crescimento é agora que essa cultura pode ser instituída. Se quiser instituir práticas de tratamento dos activos como fluxos dinâmicos (que têm em conta a variável tempo) e não como as presenças estáticas que nos ensinaram a calcular, é agora a altura de o fazer.

9. Faça a gestão da empresa. Quando a empresa entra em velocidade de cruzeiro, a gestão não se torna mais fácil. O entusiasmo que animou o empreendedor e a sua equipa à volta de um projecto nascente é difícil de manter no longo prazo. E, no entanto é necessário. O empreendedor vai necessitar de outras competências para manter a empresa viva, fervilhante de ideias, atenta ao mercado, mas deverá saber que esta tarefa lhe será muito facilitada se, desde o início, tiver instituído uma cultura organizacional e práticas favoráveis. Um verdadeiro código genético que há-de ditar o futuro da empresa.

10. Liquide o projecto. Ao iniciar um projecto o empreendedor deve ter uma ideia clara para entrar e outra para sair. Todos os projectos têm uma determinada duração nos moldes em que são executados e só a clara consciência deste facto permite ao empreendedor antecipar-se constantemente ao mercado.

Nos próximos artigos irão ser discutidas todas estas etapas. Em qualquer uma delas é possível falhar, mas a divisão do processo em etapas ajuda à identificação e correcção dos erros antes que seja demasiado tarde. O erro é a mais poderosa forma de aprendizagem e um grande aliado do empreendedor interessado em compreender as suas causas para fazer melhor no futuro.






  1. Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   15


©psicod.org 2019
enviar mensagem

    Página principal