“ a psicanálise dos contos de fadas” de Bruno Bettelheim. Aluna : Simone Mazzilli da Rosa



Baixar 60.71 Kb.
Encontro16.08.2018
Tamanho60.71 Kb.





“ A PSICANÁLISE DOS CONTOS DE FADAS” de Bruno Bettelheim



.



Aluna : Simone Mazzilli da Rosa




Porto Alegre, 2005

Na obra “A psicanálise dos contos de fadas” de Bruno Bettelheim, é apresentado o olhar do autor sobre a maior e mais difícil necessidade humana, a de encontrar o significado para vida. Para isso, o mesmo também diz que precisamos construir a maturidade psicológica.

Eu gostaria de contribuir acrescentando que a vida ,para a criança, é um “pluriverso” em que ela busca a conquista e a afirmação do mundo o qual seus sentidos não conseguem ser totalmente decifrados, pois funde e confunde o real e o mágico.

Diante da tarefa de deduzir quais as experiências na vida infantil mais adequadas para promover sua capacidade de encontrar o sentido da vida, Bettelheim, afirma que nada é mais importante que a presença dos pais e a herança cultural, quando transmitida de forma correta. Partindo desses pressupostos detecta que os livros e as cartilhas não possuem significado na vida das crianças. Eles ,simplesmente, cumprem uma missão isolada do mundo infantil. Com relação a esse último dado, principalmente das cartilhas, encontramos um mundo muito distante do imaginário infantil.As cartilhas e demais materiais são dos mais diferentes universos do mundo infantil, utilizam uma linguagem comum para esses mundos diferentes. Isso proporciona um afastamento rápido entre a criança e o livro. Como entender e apreciar o mundo que não lhe tem sentido? Assim o significado da leitura fica restrito a aquisição da habilidade de ler.

O autor classifica de “pior” a característica dos livros infantis de lograr a criança, afastando-a do significado mais profundo , na fase de vida a qual se encontra. Para que tenhamos uma história que realmente prenda a curiosidade infantil, devemos despertar sua imaginação. Com características próximas na literatura infantil temos grandes contribuições dos contos de fadas. O conto de fada é capaz de reviver o imaginário da própria literatura e até mesmo a sua estrutura fica misturada a uma metaficção contemporânea. Eles, os contos de fadas, ajudam no esclarecimento das emoções, através do estímulo à imaginação, ao encorajamento ,de soluções na auto-estima e aboirda questões psíquicas, edipianas, amor paterno e ritos de passagem para a vida adulta. Gostaria de partilhar essa informação dada pelo autor, acrescentando que na infância a fantasia transpassa a vida e a vida toma aspectos de fantasia. Assim, as fadas, as bruxas, os animais que falam e os heróis vão ao encontro dos interesses e anseios da criança. Embora eles vivam num mundo de contornos imprecisos, porém povoados de seres imaginários, vivos e atuantes dentro da lógica infantil. O conto de fada se encaixa perfeitamente nesse mundo de encantamento, ativando a imaginação e preenchendo a fantasia. Para isso , cito Schiller: “Há maior significado profundo nos contos de fadas que me contaram na infância, do que na verdade que a vida me ensina” (The Piccolomini, II,4)

Os contos de fadas tratam de problemas humanos universais, falam ao ego, dão validade ao id e atendem as requisições do ego e do superego. Bettelheim, ainda acrescenta que nos contos de fadas encontramos a mensagem de vencer obstáculos e conquistar a vitória. Em contrapartida as histórias modernas, para crianças, evitam estes problemas. As “estórias fora de perigo” não relatam morte, envelhecimento, limite existencial, nem desejo pela vida eterna. Também encontramos ,nos contos de fadas, a predominância da tipificação dos personagens. Aí encontramos o bem e o mal no corpo e na forma de agir, de algumas figuras. Essa dualidade levanta o questionamento moral e evoca a luta para soluciona-la. Não acontece apenas u ma preocupação de que a virtude deve vencer no final, para o bem da moralidade, mas sobretudo a atração que o herói provoca na criança. Nos contos de fadas não há ambigüidade, ou a personagem é boa ou é má, e quanto mais simples e direto o personagem, mais fácil será sua identificação. Percebemos alguns desses dados nos mais diversos contos de fadas. Em Bela Adormecida a bruxa má fará a menina sofrer a maldição de dormir por cem anos, “se” espetar o dedo na agulha. Essa verdade fará a criança encarar a frustração e despertará o desejo de vencer na vida. Na história de Joãozinho e Mariazinha encontramos a identificação com o herói, pois o menino é capaz de enfrentar a bruxa, ficamos diante do conflito “menino pequeno” e “bruxa adulta”; “menino bom” e “bruxa má” . Assim o menino será um herói por sua coragem e por sua aventura. Na história “A Gata Borralheira” ficamos diante da compreensão e aceitação de dilemas humanos como : morte, perda familiar biológica, aquisição de nova família, olhar dos responsáveis, diferenças sociais, amizade, amor. Já na história do “Chapeuzinho Vermelho” temos a alternativa bem X mal. Quando a Chapeuzinho deve escolher o caminho para casa da vovó, possibilita o encorajamento para escolher seus caminhos no futuro. Ainda encontramos contos de fadas com alusão a motivos religiosos, estão em maior quantidades nos contos de fadas ocidentais. Temos como exemplo a história “A Filha de Nossa Senhora” , nela encontramos o desafio familiar, a bondade divina, a provação e o castigo, o arrependimento e o perdão.



Para finalizar gostaria de citar Bettelheim “...Os contos de fadas enriquecem a vida da criança e dão-lhes umas dimensões encantadas , exatamente porque ela não sabe absolutamente como as estórias puseram a funcionar seu encantamento sobre ela.”

Baixar 60.71 Kb.

Compartilhe com seus amigos:




©psicod.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
processo seletivo
concurso público
conselho nacional
reunião ordinária
prefeitura municipal
universidade federal
ensino superior
ensino fundamental
Processo seletivo
ensino médio
Conselho nacional
minas gerais
terapia intensiva
oficial prefeitura
Curriculum vitae
Boletim oficial
seletivo simplificado
Concurso público
Universidade estadual
educaçÃo infantil
saúde mental
direitos humanos
Centro universitário
Poder judiciário
educaçÃo física
saúde conselho
santa maria
assistência social
Excelentíssimo senhor
Atividade estruturada
Conselho regional
ensino aprendizagem
ciências humanas
secretaria municipal
outras providências
políticas públicas
catarina prefeitura
recursos humanos
Conselho municipal
Dispõe sobre
ResoluçÃo consepe
Colégio estadual
psicologia programa
consentimento livre
ministério público
público federal
extensão universitária
língua portuguesa